Receba todas as novidades!
Deixe seus dados e receba nossos conteúdos direto no seu e-mail:
Seu e-mail está seguro conosco :)
Postado por inara chagas
18/09/2020

3 DICAS PARA O SEU PLANO DE CAPTAÇÃO DE RECURSOS

Profissionalizar a captação de recursos é fundamental para a estabilidade financeira da sua ONG | Foto: Pexels
Para que uma organização do terceiro setor tenha sucesso, é fundamental a criação e implementação de um plano de captação de recursos.

E ele precisa ser eficaz.

É claro que ele por si só não é capaz de solucionar todas as dores de uma organização (o que pouparia muitas dores de cabeça), mas ele tem papel importante no crescimento e consolidação da sua causa social.

Por isso, hoje trago aqui 3 dicas para você elaborar um plano de captação de recursos que responda às necessidades da sua organização.

Vamos lá?

O QUE É UM PLANO DE CAPTAÇÃO?

Um plano de captação é basicamente um documento que contém as estratégias que a sua organização irá adotar para captar recursos.

Com um bom plano de captação é possível definir metas, prazos, responsáveis, eventos de arrecadação, formas para pedir doações, planos para fidelizar doadores, dentre outras atividades. Ou seja, o plano de captação ideal possibilita que a sua ONG possa se planejar e alcançar os seus objetivos da melhor forma possível.

Para isso, é necessário ter vasto conhecimento sobre a área de captação de recursos no terceiro setor, bem como compreender a história e propósito da sua organização.

Pode até parecer óbvio, mas isso que eu acabei de dizer faz toda a diferença. Como a equipe de captação de recursos pode convencer possíveis doadores a conhecer a história da sua ONG se nem ela mesma conhece?

Por ora, deixo aqui essa reflexão. Se deixar, eu me empolgo com o assunto e estrago toda a surpresa do artigo.

DICA 1: PLANO DE CAPTAÇÃO É DIFERENTE DE PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Em um mundo ideal, toda organização do terceiro setor precisa de um planejamento estratégico. Além disso, todo planejamento estratégico precisa de um plano de captação.

É muito importante que você entenda isso, porque esses dois planos são igualmente importantes, mas não devem ser confundidos.

O plano de captação, como dito anteriormente, é aquele responsável por planejar toda a área de captação de recursos da organização, incluindo quanto deve ser captado, quando deve ser captado e, principalmente, como deve ser captado.

Já o planejamento estratégico é um processo muito mais longo e envolve todas as frentes da ONG. Com ele você desenvolve a missão da sua organização, bem como objetivos e estratégias para atingi-los.

Vê como são documentos completamente diferentes e complementares?

Um bom planejamento estratégico precisa de um plano de captação. E um bom plano de captação leva em consideração o planejamento estratégico da organização.

DICA 2: ENVOLVA TODA A EQUIPE

Veja, se a captação de recursos é responsável pela estabilidade financeira de toda a organização, faz sentido que toda a equipe também esteja envolvida, certo?

Por isso, que tal experimentar incluir as outras áreas da sua ONG no plano de captação? Não falo aqui que deixar as suas responsabilidades de lado, muito pelo contrário, quero que você englobe às metas das área de captação de recursos as da sua organização. Exemplo: a área de comunicação tem o objetivo de publicar 4 conteúdos por semana no Instagram. Que tal um deles falar sobre doações e benefícios?

E aqui vale utilizar da criatividade. Não precisam ser atividades complexas, mas sim, que envolvam todo o time. Assim, além de potencializar a captação de recursos, faz com que todos se sintam responsáveis pela estabilidade financeira da organização. Bacana, né?

DICA 3: DELEGUE FUNÇÕES

As dicas 2 e 3 estão extremamente conectadas, e eu imagino que você já saiba o porquê.

Ao envolver toda a equipe no plano de captação de recursos, nada mais justo do que delegar responsáveis, certo? Afinal, de que adianta um objetivo a ser cumprido, se ninguém fica responsável por garantir que isso seja feito?

Ao colocar responsáveis para cada função você não só assina um "termo de confiança" com aquele membro, mas faz com que aquele objetivo tenha mais chances de ser cumprido. Isso porque, ao delegar responsáveis, essa pessoa fica responsável por trazer atualizações periódicas da atividade, o que faz com que todos da equipe se lembrem daquele objetivo e, involuntariamente, trabalhem para atingi-lo.

Por fim, uma última justificativa para delegar funções é a mais lógica de todas: uma pessoa só não dá conta de tudo. Algo sempre fica de fora, e não é por mal. Com trabalho em equipe as atividades tendem a ficarem mais fáceis e a surgirem ideias mais atraentes para a captação. Já dizia aquela frase "Duas cabeças pensam melhor do que uma", não é mesmo?

DICA BÔNUS

Um plano de captação e planejamento de | Foto: Pexels
Bom, se você chegou até aqui, imagino que esteja com muito interesse e vontade de fazer com que a sua causa social cresça, certo? Pois bem. Irei te auxiliar neste processo.

A dica que te dou hoje é: se inscrever na nossa Academia da Captação! Lá temos webinários mensais, mini-treinamentos recorrentes, acompanhamento próximo com especialistas na área e acesso à uma comunidade exclusiva para colaboração entre gestores de captação de recursos. Tudo de forma online.

Dá uma olhada no link que deixei no parágrafo acima e, se tiver alguma dúvida, não hesite em nos mandar uma mensagem.

Tenho certeza de que será algo incrível na trajetória da sua causa social.

Gostou do nosso conteúdo?

Compartilhe nas suas redes sociais :)